terça-feira, 25 de outubro de 2011

Transitivo

Se ser metade muitas vezes requer se encher de completude, e ser completude requer reconhecer-se como faltante, o que resta a quem se entende em vazio mais do que em completude ou faltante?

Se ser egocêntrico implica entender que o mundo gira em torno de "si", e ser altruísta implica entender que "si" gira em torno do mundo, o que pode se dizer de quem muitas vezes não consegue distinguir o "si" e o mundo, que se mistura com o mundo e tem dificuldade em se separar dele?

Se ser criança se desdobra em espontaneidade e imaturidade e ser adulto se desdobra em ser decidido e tomar iniciativa, o que concluir sobre quem é maturidade por vezes e espontaneidade em grande parte do tempo?

Se ser si mesmo exige que se mostre tal como é, sem máscaras, e ser outrem/ninguém exige esconder-se e só mostrar o refletido, o que pronunciar sobre quem só consegue se desvencilhar do esconder quando é aceito, amado e confortado?

Se refletir e ser poesia é em mim constância o que fazer quando me é cobrada objetividade e certeza?

Um comentário:

  1. simplesmente demonstre certeza de que não há objetividade.

    ResponderExcluir